quinta-feira, 10 de julho de 2014

Diário do Careca sem Pc - Dia 10

Relato do Comandante Citricous, dia 10

A missão anda de mal a pior. O estoque de episódios de seriado que possuía em meu pendrive foi consumido rapidamente. Já não resta mais acesso nem mesmo ás redes sociais no computador improvisado que havia conseguido ressuscitar, pois havia morrido em guerras passadas. Em contra partida, descobri todos os cômodos de minha casa; descobri que a criança que mora comigo atende pelo nome de filho e a patente da oficial superior é esposa. Em algumas patrulhas pude descobrir também a correta utilização do chuveiro, a fabricação do assim chamado miojo e que as roupas não se regeneram sozinhas após sujas: elas são lavadas pela oficial superior que muitas vezes refere-se á si mesma na terceira pessoa como escrava, e ameaça largar "essa merda" e diz querer ver "o que faríamos sem ela".



Após meus últimos relatos no diário, houveram dois eventos futebolísticos internacionais ocorridos em nosso país, sendo o mesmo representado pela Seleção. Aparentemente, a seleção de jogadores que defenderiam nosso país não foi das melhores. No jogo seguinte ao dia de meu relato o time apresentou um desempenho aquém, ao menos do que ouvia falar em locais onde as pessoas se encontram para parecer importantes e falar da vida dos outros: o trabalho. Outro fato que relato aqui, e peço explicação ao alto conselho da Porca Flamejante, é a extrema necessidade que as 'pessoas normais' tem de expressar alegria atrapalhando a felicidade alheia, fazendo barulhos ensurdecedores com rojões. A criança, doravante filho, aparenta compartilhar de minha opinião e não gostou da expressão de felicidade alheia.
O outro evento organizado em nosso país ocorreu em meio á semana, o que o tornou mais proveitoso do que o anterior, pois fui liberado mais cedo de minhas obrigações para com a máquina do sistema capitalista consumista taxador de estereótipos e discriminador dos diferentes. Desta vez, nossos conterrâneos não obtiveram sucesso em vencer seus oponentes alemães. Fato curioso que a Seleção pode ter saído dos times de futsal, dada a rapidez e velocidade com a qual os gols se projetavam no estádio. Outro fato que me chama atenção neste caso são os comentários, outrora otimista e conformista com relação ao evento, que se tornaram pesados e contrários á continuidade do mesmo. Algo sobre o fato da compra da Copa foi ressaltado, mas aparentemente o órgão competente sustou o cheque e o Brasil fora eliminado. Para alegria dos residentes de meu agregado familiar, não houveram expressões de alegria.



Em alguns dias pude acompanhar os noticiários regionais, mas não vi mais falar em nada padrão FIFA, tampouco quaisquer acidentes que envolvessem os empreendimentos que apresentassem tais padrões. Os noticiários, embora tivessem nomes que sugerissem abrangência maior, apenas falavam do esporte nacional, outrora orgulhoso, agora com pesar. Mas não com mais pesar do que eu ao lembrar de meu falecido PC... como você faz falta amigo....
Encerro aqui meu relato, lembrando que o tal chuveiro deve ser ligado e o fluxo de água aberto para que haja o ato do "banho", supostamente imprescindível ao ser humano; o miojo não precisa ser comido se tiver uma "escrava como eu pra cozinhar pra um preguiçoso como você só sabe reclamar do computador que quebrou (palavras da oficial)" e que uma criança que aprendeu a fazer cócegas é melhor do que rayman legends rodando no talo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário