quinta-feira, 17 de julho de 2014

Diário do Careca sem PC - Dia Final

Relato do Comandante Citricous, dia final

Venho por meio desta relatar o dia final de minha missão sem computador. Não, não morri e estou escrevendo psicografadamente por um médium. Explico melhor no decorrer do relato.

Em sequencia aos fatos ocorridos no relato anterior, não houveram mais manifestações populares de alegria por conta do final do campeonato mundial de futebol, o que de fato alegrou a mim e a meu primogênito. Aproveito este momento em que uso a palavra alegria para expressar uma ainda maior: o assim chamado filho começou a brincar de Plants Vs Zombies. Ele imita ou um zumbi, que devora algum de seus pais, ou a planta Peanut Shooter, que atira no famigerado zumbi, seja quem for. A brincadeira sempre acaba com alguém sendo uma planta indefesa, outro alguém sendo a planta defensora e o terceiro membro sendo o zumbi que finalmente morre. Pude ver arco-íris até na simulação de morte de um morto vivo sendo feita pelo pequeno.



A situação veio a decorrer por alguns dias, dentro dos quais eu aprendi mais sobre o ambiente que habito e a maneira correta de utilizar os aparatos que permeiam tal habitat. Descobri que existe uma caixa branca que esquenta comida automaticamente, um equipamento que resfria as comidas para que não estraguem e algo que chamam de misteira. Deve ser pra fazer comidas múltiplas ao mesmo tempo,então não me interessei em saber o que é.

Enquanto eu descobria sobre os aparatos, o conselho maior do Random Coffe leu meus relatos e conseguiu, em um gesto do qual eu jamais conseguirei expressar toda minha gratidão, mandar-me um novo PC, desta vez equipado devidamente e com a alcunha de Gamer. Finalmente, após tanto tempo sem contato com os mundo dos jogos, poderia voltar a jogar - e não apenas os jogos antigos que possuía, mas também os atuais! Portanto, faço este relato também em ode e agradecimento aos amigos que fiz no supracitado grupo da rede social alvanista, onde tenho amizades virtuais mais reais em sua definição do que as que possuo no mundo real de pessoas virtuais.



Este poderia ser o fim de meu relato, onde voltaria a jogar e minha vida voltaria á antiga rotina, mas não poderia fazer isso, não agora. Descobri demais sobre o mundo para que tudo o que era antes seja chamado de normal,e preciso continuar meu relato, para que sirva de guia àqueles que porventura venham a seguir meu caminho. Sei agora que respondo á uma oficial superiora, e que ela também depende de mim para tomar suas decisões e seguir seu caminho ao meu lado. Descobri também que tenho uma vida para criar e educar, ensinando-lhe os caminhos e preceitos a serem seguidos, para que no momento certo, ele saiba responder: Scorpion ou Sub-Zero? Star Wars ou Star Trek? DC ou Marvel? Charmander, Bulbassauro ou Squirttle? PC ou console?

Nenhum comentário:

Postar um comentário