quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Sony processada por gráficos de Killzone (?!?)

É amigos, um dos poucos jogos AAA exclusivos da nova geração da Sony, Killzone: Shadow Fall, está levando a empresa aos tribunais, e ironicamente por causa de seus gráficos.

Fonte da ibagem: gamefaqs.com

O canadense Douglas Ladore está processando a empresa porque o jogo não roda a uma resolução 1080p nativo. Ele pesquisou extensivamente, em diversas fontes (inclusive no encarte do jogo), e chegou à conclusão de que o jogo rodaria normalmente em sua TV poderosa. Acontece que depois de abrir a capinha do jogo e colocar o game em seu PS4, ele viu que a realidade não era tão bonitinha assim. O jogo não roda em uma resolução de 1080p real, mas usa uma gambiarra pra fazer parecer que sim, ao menos em seu modo multi-player.

Segundo o produtor do jogo, Poria Torkan, o jogo roda em 1080p nativo:
Em ambos [os modos, single-player e multi-player], Killzone: Shadowfall gera uma imagem completa, sem redimensionamento, em 1080p de até 60 FPS. Nativo é muitas vezes usado para indicar imagens que não são escaladas; ele [o gráfico do jogo] é nativo por essa definição.[...] No modo multi-player, no entanto, usamos uma técnica chamada 'temporal reprojection', que combina pixels e vetores de movimento a partir de múltiplos quadros de baixa resolução para reconstruir uma imagem 1080p completa. Se nativo significa que cada parte do pipeline é 1080p, então essa técnica não é nativa. [tradução livre]
Essa técnica, apesar de gerar graficos de 1080p, aparentemente deixa a tela com alguns borrões na imagem.

A brincadeira pode chegar a custar 5 milhões de obamas para a Sony, e foi levada aos tribunais por uma empresa chamada Edelson PC, que já teve uma treta com a Sony e a EA, quando prometeram Battlefield 1943 na faixa para os compradores do Battlefield 3 de PS3.

Li aqui na Polygon, inclusive com a explicação de como funciona o 'temporal reprojection' (em inglês)

Nenhum comentário:

Postar um comentário