sábado, 27 de setembro de 2014

O legado Alien

"No espaço, ninguém vai ouvir você gritar."



Podemos afirmar sem sombra de dúvidas que Alien é um dos maiores ícones do Scifi e, porque não, uma das mais bem realizadas personagens da ficção. O xenomorfo nasceu na criação do filme Alien - O oitavo passageiro, idealizado no belíssimo roteiro de Dan O'Bannon, concebido pelo traço autêntico e singular de H. R. Giger e extraordinariamente estruturado por Ridley Scott em 1979. 



Desde então a personagem ultrapassou os limites do filme, tornando-se livro, jogo, estátua e tantas outras formas de homenagear esse organismo sensacional. Nas palavras de Ash: 

"Um corpo perfeito. Sua perfeição estrutural é igualado apenas pela sua hostilidade. Admiro a sua pureza, é um sobrevivente... sem uma gota de consciência, remorso ou moralidade."

Isso é Alien! Da anatomia até as formas de defesa e reprodução, feito para ser letal, preciso, certeiro. 
A amplitude do universo é o local ideal para encontrar essa criatura, que busca meios para garantir a continuidade da espécie, eliminando qualquer ameaça que possa surgir. Por tudo isso o primeiro filme da franquia é de horror e suspense, uma busca desenfreada pela sobrevivência. Não há defesas, não há combate, porque somente um irá vencer e não serão os humanos.  
Conhecer as concepções de Alien e onde seus criadores se inspiraram para sua produção ajuda a compreender o fascínio por ele. 
A ideia de vida em outros planetas tomou forma por volta da década de 1980 e por meio das influência de pesquisas e explorações espaciais decorrentes do avanço tecnológico no campo da Astronomia. Ciências, como a astrobiologia, nasceram para analisar essas possibilidades e de fato investigar a vida em outros planetas. Estudos sobre zonas habitáveis e a utilização de radiotelescópios são constantes, mas ainda não tivemos evidências reais de que existe vida em outros planetas, entretanto muitos argumentos defendem algumas possibilidades positivas neste sentido. 
Essas possibilidades geraram uma grande literatura sobre o assunto e muitos filmes foram lançados com essa perspectiva, explorando o universo e apresentando novas formas de vida. Claro, diante de tudo isso também haviam os altos lucros com produções nessa vertente. 
Uma das produções que inspiraram Alien foi "It! The Terror from Beyond Space", um filme de 1958 que possui muito elementos utilizados no filme. Ver um pequeno trecho dele é suficiente para entender a relação:




Não há ideias novas em Alien no que diz respeito aos acontecimentos ocorridos no filme, mas os elementos nele combinados são feitos com tal maestria que produziram algo de espetacular na ficção científica. A imensidão do espaço, uma nave grande e sombria, uma tripulação à deriva, diante de uma ameaça desconhecida, você já deve ter visto isso em algum lugar, mas Alien é o primeiro que você irá se lembrar. A película inclusive foi alvo de um processo por parte do escritor Van Vogt, que alegou plágio de uma série de histórias de sua autoria conhecidas como “The Voyage of the Space Beagle”.



Até utilizar-se de uma heroína feminina já havia acontecido nos cinemas em películas anteriores. Uma curiosidade interessante neste sentido é que o roteiro de Alien apresentava a possibilidade de todos os personagens serem unissex, a opção final foi feita pelo diretor Ridley Scott. 
Um outro elemento interessante da série, fator também para sua marcante presença na ficção, é a sua estética. H. R. Giger é o artista responsável pela concepção artística, materializando a figura de Alien e todo o universo em torno dele. O artista tem fortes inspirações eróticas em suas obras, trabalhando com conceitos como a interpretação psicanalítica de sonhos, o horror, o surrealismo e a mistura de elementos orgânicos com máquinas. 



A história do filme é simples: à bordo da Nostromo, os tripulantes se veem diante de um mistério, uma comunicação recebida e de origem desconhecida, que os atrai para a presença dessa nova criatura, que consegue penetrar na nave e espalhar o horror. Um misto de curiosidade e terror, suspense e sobrevivência se espalha pelos minutos decorrentes após o magistral nascimento do primeiro Alien à bordo, com certeza uma das melhores e mais emblemáticas cenas do cinema mundial:



Isso descortina um momento crítico sobre a análise da criatura: seu ciclo de vida, que demonstra o quanto os xenomorfos são precisos e letais. Sua primeira forma de vida é o Ovo, que se abre em pétalas e hospeda o Facehugger. O Facehugger é a segunda forma de vida, um parasitóide perfeito, que sabe distinguir entre um humano e uma máquina, evita hospedeiros com doenças ou variações genéticas que podem prejudicar seu desenvolvimento, distingue um ser vivo de um morto e permite que seu hospedeiro fique vivo durante o Abraço, movimento em que é implatado o Alien no organismo do hospedeiro. Para garantir o sucesso no implante é quase impossível retirar um Facehugger, seu sangue ácido impede de ser contado, pois mataria a pessoa "abraçada". A remoção dele pode matar o hospedeiro, pois sua calda se prende ao pescoço da pessoa, asfixiando-a e, logo após o Abraço, sua pele fica mais grossa e difícil de penetrar e só após a certeza da instalação exitosa do Chestburster, é que o Facehugger solta o rosto da pessoa e morre. O Chestburster nasce do peito de seu hospedeiro, matando-o, e passa a se alimentar e crescer rapidamente, dando origem ao xenomorfo adulto, a quarta etapa do ciclo de vida do Alien. 



E assim temos o primeiro contato com A criatura e, ao lado da Tenente Ellen Ripley, protagonista do filme, e a tribulação da Nostromo, participamos de uma corrida desenfreada pela vida, sofrendo e imaginando o que será da humanidade a partir do contato com tal forma de vida. 
O sucesso foi inegável e até hoje angaria fãs e inspira novos filmes, livros e produções culturais. 
Após o primeiro filme foram realizado mais três, específicos da série: Aliens: O Resgate (1986), Alien 3 (1991) e Alien: Ressurreição (1997), além de participar da franquia de filmes Predador e, recentemente, recebeu pequenas referências no filme Prometheus. Todos eles não tiveram a maestria do primeiro, foram alvo de críticas e controvérsias, alguns amados, outros odiados, mas ainda assim continuam e aprofundam a história do xenomorfo e suas origens.

É todo esse histórico que acompanha as expectativas sobre Alien: Isolation, o novo jogo com o nosso Alien, que promete resgatar essa história, trazer novos elementos e colocar o jogador em contato com o clima do filme de 1979. O legado merece um jogo à altura, inspirado em sua origem e que agrade fãs e jogadores em geral. 
Alien: Isolation tem lançamento mundial previsto para 7 de outubro deste ano.

;)

Fontes:
http://coelhomatador.wordpress.com/2013/11/29/ripley-e-leia-um-olhar-no-comeco-das-heroinas-sci-fi/
http://aidobonsai.com/2009/10/17/h-r-giger/
http://cuentotales.blogspot.com.br/2012/06/alien-el-octavo-pasajero.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário