domingo, 12 de outubro de 2014

Especial dia das Crianças

Eu tive a sorte de ter tido contato com jogos eletrônicos desde muito cedo, mesmo sem ter consciência na época do que se tratava. 

Meu primeiro contato foi com um Atari, tenho vagas lembranças de jogos como o Pitfall e o Enduro. Mas, por ser muito novo na época não foi ele que me marcou.


Lembro de ter um Master System, com Alex in the Miracle World na memória e de jogos como o da turma da Mônica, Bonanza Brothers e Sonic. Mas eu era uma criança inocente enganado por irmãos mais velhos que me davam um controle sem estar conectado para que eu pensasse que estava jogando.

O tempo passou, compramos um Mega Drive, tinha Sonic 2, esse me chamou a atenção, até hoje me lembro dos códigos secretos do jogo (19, 65, 9, 17, 4, 1, 2, 6, 1, 9, 9, 2, 1, 1, 2, 4, segura A e aperta start) para se transformar em qualquer item do jogo e se transformar no Sonic de Ouro quando pegava 50 argolas. Nessa geração curti muito o Sonic 3, que tinha um Sonic Vermelho que voava e grudava nas paredes, e permitia encaixar o cartucho do Sonic 2 pra jogar com o Sonic Vermelho no jogo anterior. Outro que me marcou no console da Sega foi o Sonic 3D Blast, gráficos incríveis, o jogo saia das duas dimensões, realmente foi muita inovação.



Quando as condições melhoraram tivemos condições para adquirir um Super Nintendo. Nossa! Aquilo era o máximo em jogos, por eu estar mais velho na época pude me dedicar mais aos jogos e realmente tomei gosto por aquilo. O console vinha com Super Mario World, zerei aquele jogo de todas as formas possíveis, abri todos os caminhos secretos, se duvidar ainda me lembro de como que passa em cada fase que o jogo possui.

No SNES tive contato com clássicos, como Chrono Trigger e Secret of Mana que me ensinaram o que era RPG, Mario Kart, que na época não era tão difícil como é hoje, e The Legend of Zelda a Link to the Past... Uma obra de arte em forma de cartucho, o jogo eletrônico que mais me marcou em todas as gerações de jogos.

Eu diria que lá em casa o SNES foi o console que dividiu minha família, nos apresentou a rpgs e a jogos incríveis da Nintendo. Como já éramos adolescentes, meu irmão em busca de mais títulos do gênero RPG partiu para um PS1, eu, quando tive condições, comprei um N64. 

Golden Eye, Mario 64, Pokemon Stadium, Ocarina of Time e Majora's Mask (que se tornou o meu Zelda favorito) marcaram essa geração.

Entrei para o Ensino Médio, acabei abandonando os jogos, me dedicando aos estudos. Meu irmão teve um PS2, um PS3 e agora um PS4. Já adulto, casado, trabalhando foi que resolvi retomar minha infância e adquirir um console, comprei um ps3, por herdar todos os jogos de meu irmão, mas ainda estava faltando algo. Comprei um pc razoável, milhares de jogos no steam, mas era nos emuladores dos consoles antigos que eu mais me divertia. Então comprei um Wii U, voltei a ser criança...


Me senti assim, quando estava abrindo o Wii U.

Nenhum comentário:

Postar um comentário