segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Lore de Lordran S03E01

Sejam bem vindos de volta a Lore de Lordran, aquela série de postagens para iluminar um pouco a sua jornada por Lordran.

Para você que está chegando agora... Não se desespere, a primeira temporada está disponível aqui, em um arquivo compilado de fácil leitura.

A segunda temporada ainda não foi compilada, no entanto, abaixo estão os links para cada postagem.

Manus - O Pai do Abismo
As Ruínas Inundadas
O Furtivo
Forças Especiais, Serpentes Primordiais e o Dragão Negro

E agora, fique com o post introdutório da nossa terceira temporada.


Lordran é a terra dos Lordes, Gwyn, Nito e a Feiticeira de Izalith. Também é o lar dos servos destas três "divindades" e seus aliados.

Lordran é o destino do Chosen Undead, como parte da sua perigrinação que teve início no Undead Asylum, onde, sem memória de quem era, foi libertado por Oscar, Cavaleiro de Astora.

Astora, um Reino distante, de onde Oscar e Anastacia, bem como as armaduras de tantos cavaleiros mortos (ou dominados pelo Vazio) que encontramos pelo caminho, em nossa jornada, vieram.

Ainda sobrevoando os arredores do reino, podemos ver boa parte destas fortalezas e a colossal árvore que cobre o vale onde um subúrbio cheio de casas parece vivo. Os subúrbios onde os não- mortos tentam manter uma espécie de sobrevida, em um mundo onde são detestados, e durante tanto tempo foram expurgados.

Tão logo chegamos a Firelink Shrine, trazidos pelo corvo gigante (animal que representa Velka, a deusa do pecado), ao darmos uma bela olhada nos arredores, sem sequer sair do lugar, podemos ver uma muralha colossal, centenas de metros acima de onde estamos, separando o mundo de Anor Londo. A terra dos deuses.

Anor Londo, que dá acesso ao topo do mundo, os Dukes Archives, de onde vem os Sequestradores de Seath, seus servos, que buscam humanos para suas experiências doentias.

Uma breve caminhada ao redor da bonfire, sob a sombra da colossal árvore, cujas raízes abraçam a Kiln of the First Flame (abaixo), onde o Lorde Gwyn se sacrificou, tantos séculos antes, tentando prolongar a Era do Fogo, a Era dos Deuses.

Ou seria o lugar da Bed of Chaos?

Seguindo pelas escadas, chegamos a frente de uma cela improvisada, sem qualquer saída, onde uma mulher permanece em silêncio, a guardiã desta bonfire, Anastacia.

Passando por Anastacia, chegaremos a um elevador que nos levará à uma das primeiras lições de Dark Souls.

"Se uma área parece impossível, é por que você ainda não deveria estar nela"

New Londo, o Reino dos Quatro Reis, a segunda ferida de trevas, criada pelo Abismo, em Lordran. De onde é possível acessar o Valley of Drakes onde pequenos descendentes dos dragões ancestrais, apenas fagulhas, próximo das chamas infernais dos seus antepassados, ainda vagam. Mais além, Bligth Town e o Reino de Izalith, lar da Feiticeira de Izalith e as suas filhas do caos.

Voltando à Firelink Shrine, seguindo pelos arcos à direita do Crestfallen Warrior de fala mansa, passando pela fonte de água, chegaremos ao cemitério que leva às catacumbas, onde um ferreiro perdido, mestre de antigas artes permanece e a Tumba dos Gigantes, o Reino de Nito e o "lar" de Pinwheel, o necromante.

Saindo de Firelink Shrine, seguindo pelo caminho montanha acima até o aqueduto, chegaremos ao Undead Burg (abaixo), onde o vendedor nos conta que demônios agora infestam o último reduto onde os mortos podiam "viver". Uma espécie de demônio cabra, na parte mais baixa e outra que parece um touro, no acesso à Undead Parish e a maior parte de Lordran.


Lugares tão distantes uns dos outros, no entanto, ligados, de forma orgânica, com perfeição.

Essa postagem serve apenas como introdução para essa nova temporada do Lore de Lordran... Fiquem de olho na Porca Flamejante para mais informações sobre Dark Souls.

Nenhum comentário:

Postar um comentário