quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Semana da criança nostálgica! O início de uma epopeia gamer

E vamos aqui a mais uma retrospectiva de infância gamer para vocês jovens leitores! E pra começar a sessão nostalgia de forma... nostálgica, fica aí o aviso "senta que lá vem história".



Minha "carreira" gamer começou cedo. Não lembro com que idade, mas lembro bem que antes dos meus 5 anos eu já jogava video game. E é graças a minha família que tudo se iniciou. Não lembro se foi no meu aniversário de 3 ou 4 anos (nem mesmo se foi num aniversário ou se foi natal) ganhei um Master System III com Sonic the Hedgehog na memória!


E esse foi o primeiro jogo que joguei em minha vida, e não tinha como começar a ser jogador de maneira melhor! E já naquela época eu entrei pra amada era das locadoras. E aqui se estabeleceu o ritual de quase todas as sextas-feiras alugar um jogo pra devolver nas segundas, e como eu adorava isso. Joguei várias coisas diferentes pro Master System, mas as mais memoráveis foram Turma da Mônica, Mortal Kombat II e Alex Kidd: The Lost Star - esse, sem que eu me desse conta na época, foi o primeiro jogo que zerei em minha vida.


Alguns anos depois, ganhei um SNES de Natal, com dois jogos: Super Soccer e meu amado Top Gear. O SNES me proporcionou anos de diversão sem fim. Tantos jogos memoráveis esse console tinha: o próprio Top Gear, meu jogo de corrida preferido de toda a vida, The Mask, simplesmente incrível, Super Bomberman, Super Mario World, Mega Man X, e Teenage Mutant Ninja Turtles IV: Turtles in Time. Esse último foi o primeiro jogo que zerei no nível de dificuldade mais alto, e em modo co-op com um amigo meu. Muitos e muitos jogos inesquecíveis vieram dessa época, na grandiosa era das locadoras.


Aí eu fui pra geração seguinte lá perto seu fim. Ganhei meu amado PlayStation One (a versão Slim do PS1) quando o PS2 ainda era recém-lançado. A era das locadoras havia terminado e a era Yo Ho Ho e uma garrafa de rum começou. Eu tinha lá pros meus 10-12 anos quando ganhei o PSOne, e foram muito, muitos os jogos que joguei pra ele. Não pude na época jogar todos os que hoje são reverenciados, como o próprio Castlevania Symphony of the Night, que só comecei a jogar esse ano no meu PS3. Entendam, inicio dos anos 2000, eu comecei a ter internet, e internet discada com cada minuto custando uma barra de ouro, e amigos que também não jogaram esses jogos. Assim, ficava difícil ter uma referência boa pra jogos. Mas joguei muita coisa boa. 

Megaman X4, Crash Bandicoot, Tenchu, Dragon Ball Z, Resident Evil... se eu nomear tudo, o post não termina nunca, mas posso dizer que aqui eu por acaso conheci a série que somente anos depois eu iria ter um novo contato e se tornaria minha série preferia: Metal Gear Solid. Comprei o CD1 todo arranhado numa feira de um jovem careca de cabeça mal raspada. Me lembro bem do momento, eu comprei um jogo dele que não lembro qual era e ele me disse "você não vai levar o Metal Gear?" Eu nem conhecia a série, mas levei. O jogo só ia até depois de enfrentar Revolver Ocelot, o primeiro boss e travava. Nunca mais achei esse jogo até o dia da minha formatura de 3ºano do ensino médio, quando um amigo copiou o dele pra mim!

E uma época que não se pode jamais esquecer, e que vez ou outra tenho a oportunidade de reviver, a grandiosa era das lanhouses. Aquele que nunca frequentou uma lanhouse na vida pra jogar com os amigos que se atire de cabeça numa pedra! A época em que o huebr começou. depois da escola, uma vez por semana eu jogava com os amigos, partidas de Counter Strike, Gunbound, PangYa, ou aquela zuera de vez em quando testando outros jogos como The Duel, Battlefield, e invadir contas de Second Life alheias. Dentro da lanhouse era festa, gritaria pra todo lado, um xingando o outro (amigavelmente, mas mandando pra aquele lugar), e aquela zueira adoidada quando alguém morria na faquinha ou num headshot.

Durante essa época, alguns raros, porém muito divertidos momentos aconteciam, quando reuníamos a galera toda pra ir na casa de alguém jogar. Era difícil isso acontecer, mas quando acontecia, não tinha uma única pessoa que não se divertia. Eu hoje em dia não gosto de multiplayer, e passo longe de co-op, mas aquela época tinha algo que tem se perdido hoje em dia, a reunião dos amigos pra se divertir, o fato de se reunir era o que contava, jogando video game ainda por cima, e montando campeonatos, era um evento tão grandioso quanto a copa do mundo ou a luta do Goku contra o Freeza.


E como termina a história de toda essa infância gamer? Ela não termina, a infância pode ter ido embora fisicamente, mas enquanto eu continuar a me divertir com as mesmas cosias que me divertiam na infância, principalmente com os video-games a infância nunca vai morrer. E todo esses jogos mencionados aí em cima? Me divertem na mesma intensidade que me divertiam no passado, e me divertem ainda mais quando os relembro e os jogo novamente.

Minha feliz infância jogando Sonic no meu amado Master System III

A criança que eu fui hoje é cresceu, engordou um pouco e fala palavrão adoidadamente em certos momentos, mas ainda é a mesma criança na hora de esquecer do mundo e só se importar em jogar. E você aí? Ainda mantém sua criança interior viva ou se tornou aquele adulto chato que vc nunca queria ser quando era novo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário