quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Análise HQ - A Piada Mortal

Para a minha primeira análise de HQs aqui no Porca, resolvi começar com uma história bem curtinha, então estarei escrevendo sobre a HQ do Batman, A Piada Mortal.


Batman: A Piada Mortal (Batman: The Killing Joke) é um quadrinho de uma única edição, escrito em 1988 pelo mestre Alan Moore. Embora uma única revista, causou uma série de impactos no universo DC, influenciando a linha do tempo das histórias do Batman (embora não fosse a intenção original da DC tomar esses eventos como canônicos).


A Piada Mortal começa com o Homem-Morcego indo visitar o Coringa em Arkham, e ele vem com um papo de 'você precisa parar de fazer loucuras, ou uma hora nós vamos acabar  matando um ao outro'. Acontece que o Coringa que está preso é apenas um bandido aleatório, que o próprio Coringa colocou em seu lugar antes de fugir de Arkham.

A história segue mesclando passado e presente: O plot mostra a noite de loucuras e crimes que o Coringa comete, inclusive atirar na Barbara Gordon, o que a deixa paraplégica, e um possível estupro da moça; depois, segue o Palhaço Príncipe do Crime em um sequestro ao Comissário Gordon, onde o mesmo é exposto a fotos do crime cometidos contra sua filha, para tentar enlouquecê-lo.

Coringa, antes da vida de crimes
Por outro lado, o quadrinho volta no tempo e mostra o Coringa antes de se tornar um criminoso: um palhaço fracassado, com alguns dilemas morais e dificuldades para sustentar sua esposa, grávida. E quando ele toma uma decisão difícil, para o bem de sua família, começa uma sucessão de mal-acontecidos na vida daquele homem, que acabam por torná-lo o famoso criminoso.

O quadrinho explora o fato de que um mau dia na vida de qualquer homem pode torná-lo um "Coringa", deixá-lo completamente insano. E mostra o próprio Coringa tentando provar essa teoria ao atacar o comissário Gordon, e o próprio Batman, insinuando que também foi um dia mau que fez com que ele se tornasse um herói da justiça (e um louco, por extensão). Por fim, após um confronto entre o herói e o vilão da história, para fechar com chave de ouro, o Coringa conta uma piada para o Batman (daí o nome da HQ). O nível de insanidade é tão alto que a HQ termina com Batman rindo da piada do seu arqui-inimigo, junto com ele,

Embora não exista uma origem certa para o Coringa, a mais aceita entre os fãs é a versão contada em A Piada Mortal. Além disso, a DC aceitou no cânone a consequência do crime do Palhaço contra Bárbara, deixando-a paraplégica na série principal (a partir desse momento a garota assume o alter-ego Oráculo). Também há algumas cenas que dependem da interpretação do leitor, como as fotos do crime cometido contra Barbara, mostradas ao seu pai, onde pode-se inferir que o Coringa fez mais que simplesmente atirar na moça, e a parte final do quadrinho, que também é bastante sujeita a interpretações de leitores (embora o próprio Alan Moore negue, e diga que é 'apenas uma história do Batman e do Coringa, que não conta nada de mais').


É um quadrinho que foi elevado ao status de cult pelos próprios leitores do Morcego e pela crítica, e um must-read para os fãs do herói, colocada lado a lado com as sagas Ano Um e O Cavaleiro das Trevas. Recomendado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário