segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

O que eu assisti em 2014?

Seguindo a linha do que o MeMe Gamer se propõe, resolvi fazer um "O que assisti" também, em 2014, já que nem só de games vive o homem.

2014 foi complicado para as continuações, normalmente seguiria na linha de "não gosto de falar do que foi ruim", mas foram tantas as porcarias que, no mínimo 3 vou ter que mencionar. Também vou falar um pouco das poucas séries que acompanho, como foram suas temporadas e melhores episódios. Sem mais, vamos lá.

Guardiões da Galáxia

A maior aposta da Marvel, provou que eles podem fazer um filme com um guaxinin e um ent, mandar um foda-se pra câmera, fazer um filme com os Vingadores em outra roupagem e nós ainda vamos assistir e aplaudir de pé no final.

Sem falar na trilha sonora animal, que ficou em primeiro lugar na Billboard por semanas a fio e deixou todo mundo curioso pra ver (ou ouvir) o que nos aguarda na Awesome Mix Vol. 2. (Curte a trilha sonora completa abaixo)



Com a maior bilheteria do ano, Guardiões da Galáxia foi o melhor filme de quadrinhos até agora, tirando sarro de si mesmo e se levando a sério em pouquíssimos momentos. Com certeza vale a pena assistir.


Planeta dos Macacos 2 - O Confronto

Em mais um caso de tradução de título bosta, Dawn of the planet of the apes foi o melhor filme do ano, de longe, na minha opinião.

Com personagens mais desenvolvidos, tanto no núcleo primata, quanto humano, e o mundo pós-apocalíptico já estabelecido, Planeta dos Macacos 2 não precisa se ater a construção de personagens. Vemos os mesmos macacos que ajudaram Cesar a fugir do santuário, no primeiro filme, e caras novas, como os filhos e esposa de Cesar.

O núcleo humano é bastante enfraquecido, o que não chega a ser um problema, já que o nome do filme é Planeta dos Macacos.

E Andy Serkis não ganhar um Oscar pela sua atuação nesse filme... Já é perseguição.


Troféu Decepção do Ano 1 - X-Men Dias de um Futuro Esquecido

Todos que acompanhamos quadrinhos já há muito tempo, esperávamos por essa história no cinema, talvez em uma saga de um ou dois filmes. Mas não essa anomalia.

Centrado no que parece ser o único herói existente nos X-men, Wolverine volta ao passado, em sua mente, ao menos, para tentar impedir o assassinato de um influente cientista que eventualmente vai causar o apocalipse.

Para variar, tem Wolverine sem camisa pras meninas, e a Mística pra nós rapazes, fora isso, é a cena do Mercúrio, que a essa altura, todo mundo já ouviu falar, que vale o ingresso. E como coloquei ela abaixo, não precisa perder tempo olhando o filme.



Claro que as lutas contra os Nimrods são excelentes, é legal voltar a ver os X-men de First Class, mas isso não apaga aquela porcaria de final que inutiliza qualquer continuação de First Class, já que todos os X-men evelheceram bem e felizes. Menos mal que pelo menos apaga aquela porcaria daquele X-men Last Stand.

Capitão América: O Soldado Invernal

Seguindo a segunda fase da Marvel, depois de Os Vingadores, temos a continuação (infinitamente superior) de Capitão América, que conta o ressurgimento da Hidra nos dias de hoje.

Um filme excelente de espionagem, com o retorno de um personagem importante do passado do Capitão, e as melhores coreografias de luta da Marvel desde sempre. Sério, a luta de facas no meio do filme é simplesmente impressionante.

Saímos do cinema pensando no que a Marvel vai fazer com seus heróis da terra, depois de os eventos "cataclísmicos" dessa continuação. Sem falar no feeling que assistimos o melhor filme da Marvel desde o primeiro Homem de Ferro.

O Lobo de Wall Street

Sabe aquela saudade que você tem depois de muito tempo sem o Tarantino entregar um filme novo? Isso é, pra você que é fã dele. Então, Scorsese também deixa esse feeling depois de um tempo.

Os Infiltrados é de 2006, de lá pra cá ele até fez aquele A Ilha do Medo, em 2010, que foi um filme bonzinho até. Mas foi no final de 2013 que o monstro voltou.

O Lobo de Wall Street foi lançado no final de 2013, mas pelos trailers, não fiquei interessado, o que me levou a assistir só no meio de 2014 o filme... E aquela teoria de que Scorsese faz um ou dois filmes para pagar seu próximo projeto pessoal, parece bem realista.


O cara tá surtado.

Arremesso de anões, uma mulher com a cabeça raspada, prostituição, drogas, desvio de dinheiro, é tanta sujeira que não nos resta nada além de rir das loucuras de Jordan Belfort no que foi o filme mais louco do ano.

Ah, e o filme serve como prova definitiva que Jonah Hill pode atuar, e não só ficar de piadinha besta.

Troféu Decepção do Ano 2 - Annabelle

Invocação do Mal foi um dos melhores filmes de terror das últimas décadas por pegar a o gênero de casa mal assombrada e pegar um excelente filme do gênero.

Tinha um ótimo elenco, roteiro e direção de James Wan, que já havia dirigido os ótimos Sobrenatural e Sobrenatural 2 (no original, Insidious). E o mais importante, se ateve a formula que todos amamos, da casa mal assombrada.

Annabelle seguiu o caminho inverso, pegou um elenco ridículo, um roteiro pior e a direção meia boca, com meia dúzia de jump scares (aquele momento de silêncio seguido de um aumento absurdo no volume da música ou barulho).

Por favor, assistam esse review abaixo... Ele ilustra bem o que senti no filme...


Depois de uma tragédia em casa, quando uma mulher louca, vamos chamá-la de MULHER ESCABELADA GENÉRICA esfaqueia a barriga de outra mulher grávida, vamos chamar esta de MULHER ESTÚPIDA NA ENÉSIMA POTÊNCIA, e depois morre abraçada em uma boneca... O ideal seria jogar a porcaria da boneca fora, certo?

É o que ela faz...

Mas quando a boneca misteriosamente aparece, em outro apartamento, do outro lado da cidade, suja e no meio das caixas de mudança... O que fazer? Tacar fogo na porcaria, certo?

Nahhh... Fica com ela e põe no quarto do bebê recém nascido...

Sem comentários...

House of Cards - Segunda Temporada

Depois da surpreendente escalada ao poder na primeira temporada, Frank Underwood se aproxima cada vez mais do seu objetivo, e sem poupar nada em seu caminho. Assista o primeiro capítulo da segunda temporada e verá de que estou falando.



Na segunda temporada, com a entrada de personagens importantes como o executivo Feng, e crescimento de personagens como do bilhonário Tusk e Jackeline, que substituiu Frank na liderança da câmara, tudo tomou uma escala ainda maior que na primeira temporada.

O combate final entre Tusk e Underwood se torna inevitável ao meio da temporada e quando acontece, é digno de cinema.

Com a terceira temporada tendo início em Fevereiro de 2015, mal posso esperar para ver os primeiros dias de Frank no cargo que passou a ocupar.

Game of Thrones - Quarta Temporada

Como alguém segue com o Casamento Vermelho e os demais eventos que encerraram a terceira temporada?

A terceira temporada de Game of Thrones foi excelente, com tantas revelações sobre Tywin Lannister, a jornada de crescimento de Jaime, quando Daenerys toma os Unsullied... Enfim, foi tanta coisa boa que admito ter sentido medo da quarta temporada.

Medo que logo passou com a chegada de Oberyn, um dos personagens mais carismáticos e seguros da série. Desde o primeiro momento que apareceu em cena, Oberyn tinha certeza do que ia fazer na capital, e que ia ter sucesso.


Então, o casamento púrpura, seguindo a tradição de G.R.R. Martin ser o melhor promoter de festas de Westeros. Depois de Tyrion ser tratado como lixo por aquele bostinha (assistam e saberão de quem estou falando) foi ótimo ver o desfecho do seu Reinado.

Então ainda tivemos o julgamento de Tyrion, Daenerys catapultando correntes e grilhões de ex-escravos de Astapor e Yunkai contra as muralhas de Meereen, o desfecho de Lysa Arryn, a luta de Oberyn contra a Montanha, a batalha do norte e a fuga de Tyrion... É, a quarta temporada foi realmente excelente e manteve o nível da série.

Hannibal - Segunda Temporada

Assisti apenas 3 séries este ano e isso se deu a qualidade absurda delas, e a atenção necessária para acompanhá-las. Francamente, não tenho tempo pra Big Bang Theory, ou outras de humor nesse estilo, ainda mais depois do final de How I Met Your Mother.

Hannibal é uma série que demanda especial atenção do espectador. Você precisa do ambiente em silêncio, pouca iluminação e total concentração, para pegar todas as nuances de cada personagem. Os "vilões" não são caricatos como os de NCIS, CSI, Dexter ou outras séries com maníacos, são personagens que poderiam ser nossos vizinhos.


A luta no primeiro episódio, a briga de galo entre Will e Hannibal, a cena onde os cães são alimentados de forma não convencional, momentos incríveis como o fim de Beverly, de Chilton, e de todos aqueles outros no final da temporada... Sem falar em Hannibal cozinhando, que quase qualquer coisa parece apetitosa.

Para aqueles de estômago forte, e que buscam uma série melhor que Dexter em todos os aspectos, Hannibal é o que você estava procurando.

Achou que eu tinha esquecido?

Troféu Decepção do Ano 3 - Michael Bay

Teoricamente não é decepção se já esperávamos, certo?

Michael Bay recebeu aquele continue, depois de perder os dois rounds, com aquele lixo de Transformers 2, A Vingança dos Derrotados e o Lado Escuro da Lua... Dois filmes medíocres que se resumiam a uma orgia de propagandas de produtos na nossa cara com o barulho de uma batedeira estuprando um ralador de legumes.

Lockdown, o novo inimigo...

Tudo ia bem com a produção de Transformers A Era da Extinção, todo o elenco do passado foi descartado, a maioria dos Autobots e Decepticons também, haviam cenas impressionantes de um novo inimigo, que não era Decepticon, mas sim um caçador de recompensas com design foderoso... Boas chances de dar certo...

Claro que a menina estúpida de corpo escultural tava lá... Claro que o Optimus precisava voltar, e com o Bumblebee... Todos sabíamos que os Bayismos de sempre iam estar lá também (câmera lenta, câmera girando em torno dos personagens, explosões, explosões e mais explosões)... Mas nos permitimos acreditar que seria diferente dessa vez...

Não foi...

A essa altura todos já sabíamos o que esperar das Tartarugas Ninja, não? Pois é...

Fato é que ele não dirigiu essa outra bucha, mas foi produtor, e dá pra ver o Bayismo por todo lugar (câmera lenta, câmera girando em torno dos personagens, explosões, explosões e mais explosões).

Primeiro as tartarugas iam ser aliens, depois não eram mais, depois o destruidor ia ser o William Fichtner, mas aí o nerdrage explodiu e ele não era mais, aí colocaram outro random oriental lá pra ser o destruidor em cenas que foram claramente refilmadas.

Aí pegaram o final do Espetacular Homem Aranha e copiaram, só que de dia, e eram quatro heróis contra um vilão, então não sei se chega a categorizar como cópia, né?

Falando no vilão, muita gente criticou o destruidor estar dentro de uma baita armadura, parecendo o Samurai Prateado do Wolverine (outro filme bosta)... Mas aqui faz sentido... As tartarugas são enormes, fortes feito tanques, não tinha como um ninjinha jaguara fazer páreo com eles.


Claro que o filme tem cenas divertidíssimas (tipo essa acima), as tartarugas estão totalmente badasses (e carismáticas) e os efeitos especiais tão perfeitos... Mas isso não tira o lixo que é ver a Megan Fox como April O'Neil.

Mas uma coisa eu tenho que admitir, se essa fosse a primeira vez que eu tivesse ouvido falar nas Tartarugas Ninja, sem ter assistido um filme anterior, lido um quadrinho, e tivesse uns 10, 12 anos... Eu ia adorar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário