sábado, 27 de dezembro de 2014

Um Natal offline

Foto do grupo Lizard Squad no Twitter
O Natal não foi muito feliz para diversos jogadores que utilizam os serviços da PSN e da Xbox Live. O motivo foi um ataque aos servidores de ambas as redes na noite do dia 24, todo o dia 25 e o dia 26. O grupo que assumiu o feito, Lizard Squad, realizaram um ataque conhecido como DDOS (Distributed Denial of Service), em que vários computadores infectados pedem acesso ao servidor simultaneamente, gerando sobrecarga e a queda da rede, que inviabilizou serviços disponibilizados. 

Promoção de Natal da PSN brasileira
Com isso não foi possível atualizar consoles e jogos, jogar online ou realizar comprar nas lojas virtuais. Esse foi um golpe duro para os jogadores, em especial quando muitos acabaram de ganhar novos consoles ou ainda só conseguiram tempo livre para jogarem no feriado de Natal. Nada foi divulgado quanto a algum possível prejuízo que Sony e Microsoft tenham tido com os ataques, visto que as duas empresas estão com promoção de jogos digitais agora no final do ano e essa modalidade de vendas vem ganhando cada vez mais adeptos pelos preços mais baratos e acesso fácil aos jogos comprados. Na verdade nenhuma das duas empresas se pronunciou sobre o ocorrido, não negam e nem afirmam que aconteceu um ataque em suas redes, só divulgam comunicados oficiais de que estão trabalhando para que os serviços fiquem estáveis o mais breve possível.
O conhecido empresário alemão fundador do Megaupload, Kim Dotcom, negociou via Twitter contas premium do Mega Privacy para que o grupo parasse os ataques, que foi atendidos e também divulgado via Twitter do grupo. Na sua página no Twitter há vários usuários agradecendo o feito. 
Ainda hoje há relatos de instabilidade, em especial na PSN, que já foi alvo de diversos ataques por esse e outros grupos.
O ataque teve tanta repercussão que as redes sociais foram inundadas de comentários sobre o ocorrido e até as redes de televisão aberta aqui no Brasil divulgaram notícias sobre esses ataques. 

Afinal, o que motivou tamanha atitude?

O grupo ficou conhecido internacionalmente por atacar servidores da PSN, Battle.net, Machinima e League of Legends. Seu suposto ataque mais famoso foi em agosto, quando afirmaram via Twitter que havia uma bomba no avião em que o presidente da Sony estava em viagem. As investigações do FBI não confirmaram se a ameaça era real. 
Vários portais de notícia comentaram que os ataques podem ter sido motivados pela decisão da Sony de disponibilizar o filme "The Interview" para os usuários em determinados serviços, como Xbox Vídeos. 
Cartaz de "The Interview, gerador da polêmica.
O filme é bastante polêmico e foi motivo de muitas discussões, curiosidade e outros ataques nos últimos meses. Ele se trata de uma história ficcional de uma trama para matar um ditador norte-coreano. Ataques à Sony Pictures em novembro, realizados pelo GOP (Guardians of Peace) fizeram com que a empresa considerasse a possibilidade de não lançar o filme, que foi lançado somente em salas de cinema independentes neste final de ano. As grandes redes e muitos cinemas negaram-se a veicular o filme depois de ameaças de ataque terrorista. A Sony inicialmente cancelou o lançamento no cinema, mas, depois de duras críticas, decidiu que o melhor caminho seria realizar a divulgação e a veiculação digital do filme por defesa da liberdade de expressão.
Os usuários que assistiram ao longa estão divididos, alguns afirmam ser um bom filme, outros dizem que não é tão bom quanto a fama de polêmico que o filme recebeu. Diante de tantas opiniões diversas ficaram os jogadores à mercê dos ataques. 

Em um mundo que atualmente se surpreende que cisões que pareciam ter sido esquecidas com o fim da Guerra Fria, não se sabe mais o que esperar de grupos que tentam defender o que acham correto com ataques virtuais, mostrando o temor do mundo por ataques terroristas que extrapolem os muros do virtual.
Fato é que oficialmente as duas empresas não se posicionaram quanto ao suposto ataque e isso acaba inibindo ainda mais as empresas e os jogadores, que não sabem de fato o que está acontecendo, e dando força aos ataques e a esses grupos. 
E quando acontecerem novos ataques teremos mais "Dotcoms" para negociar? O que aconteceu de fato será divulgado ou tudo será maquiado e esquecido?

Aguardemos mais posições oficiais sobre o assunto nos próximos dias. 

;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário